Está aqui

Está aqui

  • Maryam Rabi, 31 - “Os bons esforços de conservação não ocorrem isoladamente. Eles não envolvem apenas edifícios históricos, monumentos e pontos de referência individuais, mas também as suas áreas circundantes, e em especial as comunidades que os experienciam no dia-a-dia. Levam a um aumento do turismo e contribuem para o bem-estar económico das sociedades. O Paquistão possui uma riqueza em estruturas históricas que estão a ser subutilizadas e com uma extrema necessidade de reabilitação. Somente através da sua restauração e reutilização adaptativa é que estas poderão ser reintegradas no tecido urbano do país.”
    AKDN / Christopher Wilton-Steer
Maryam Rabi: Arquiteta de conservação do Fundo Aga Khan para a Cultura

Maryam estudou Arquitetura na Universidade Nacional Beaconhouse, em Lahore, tendo posteriormente obtido um mestrado em Planeamento para a Preservação Histórica na Universidade de Cornell, em Nova Iorque. Hoje, trabalha como arquiteta de conservação para o AKTC. No seu dia-a-dia, Maryam ocupa o tempo a documentar monumentos individuais, assim como as áreas urbanas circundantes, usando dispositivos de Medição Eletrónica de Distâncias e tecnologias de ortorretificação, a supervisionar projetos e a reunir documentos que descrevem os processos de conservação. Atualmente, está a trabalhar numa publicação de alta qualidade acerca do trabalho do AKTC em Lahore, que estará disponível para compra até ao final de 2019.

Maryam sempre se sentiu atraída por ambientes históricos e pela forma como estes se transformam ao longo do tempo. A observação da deterioração dos monumentos históricos no Paquistão motivou-a a seguir uma carreira em conservação e a salvaguardar aquilo que resta da identidade partilhada do país.

“Os bons esforços de conservação não ocorrem isoladamente. Eles não envolvem apenas edifícios históricos, monumentos e pontos de referência individuais, mas também as suas áreas circundantes, e em especial as comunidades que os experienciam no dia-a-dia. Levam a um aumento do turismo e contribuem para o bem-estar económico das sociedades. O Paquistão possui uma riqueza em estruturas históricas que estão a ser subutilizadas e com uma extrema necessidade de reabilitação. Somente através da sua restauração e reutilização adaptativa é que estas poderão ser reintegradas no tecido urbano do país.”

Arquitetos, historiadores de arte, engenheiros, artistas plásticos, químicos, conservadores e ceramistas compõem a constelação de jovens qualificados que trabalham para o Fundo Aga Khan para a Cultura (AKTC) num dos maiores projetos de restauração do Paquistão.

A Muralha das Figuras do Séc. XVII da era mogol na Cidade Murada de Lahore tem-se vindo a degradar ao longo dos últimos 100 anos, mas graças aos esforços da Autoridade da Cidade Murada de Lahore, de doadores internacionais e da energia contagiante desta jovem equipa de conservadores, a muralha está a recuperar o seu esplendor original.

A primeira fase da restauração deste património mundial da UNESCO - cerca de 50 metros - ficou concluída no final de Março de 2019 e foi inaugurada pelo Primeiro-Ministro Imran Khan. A restauração dos restantes 400 metros desta estrutura inspiradora irá prolongar-se por uma década.

Este artigo foi publicado originalmente no blogue Wilton Photography.